Trending

“ALGODÃO AGROECOLÓGICO POTIGUAR” PROSPERA E MARCA RETORNO DO OURO BRANCO AO RN


Em apenas seis meses, agricultores e agricultoras familiares que compõem o projeto Algodão Agroecológico Potiguar realizaram as primeiras colheitas. A ação foi lançada oficialmente em 22 de dezembro de 2021, sob a coordenação do Governo do RN, por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Rural e Agricultura Familiar (SEDRAF) e do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER), e já se consolida como um verdadeiro caso de sucesso, demarcando o retorno do chamado “ouro branco” à agricultura familiar do Rio Grande do Norte.

Ao visitar campos de algodão cultivados por algumas dentre as 361 famílias beneficiadas pelo projeto, o titular da SEDRAF e professor licenciado do departamento de Gestão Ambiental da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Alexandre Lima, destacou a magnitude da iniciativa, desenvolvida em regime consorciado a outras culturas, como feijão, milho e gergelim, com técnicas agrícolas de base agroecológica que ajudam a preservar o meio ambiente e potencializam a produção de alimentos saudáveis. “É uma realidade que está transformando vidas no semiárido potiguar”, declarou, na companhia do grupo de mulheres que tem o apoio de duas das organizações envolvidas na iniciativa, Justa Trama e Rede Xique Xique.

Em Guamaré, nos assentamentos os campos de algodão voltam a embelezar o cenário rural nos assentamentos. Após anos sem produzir, o município estima colher 34 toneladas do ouro branco na safra deste ano. O resultado é fruto do Projeto Algodão Agroecológico Potiguar que beneficiou 22 agricultores guamareenses, dos quais 17 obtiveram produção. Essa é mais uma ação da gestão municipal para o fortalecimento da agricultura no município.



Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
header ads
header ads
header ads