Trending

UMA TERCEIRA VIA NA POLÍTICA DE GUAMARÉ NUNCA DEU CERTO


Em 1982 ainda com o voto vinculado, Guamaré teve seu primeiro embate político bastante acirrado tendo sua primeira eleição com 4 candidatos. Foram eles: Vicente de Brito Miranda “Seu Vivi” e Francisco Pereira Olegário ambos pelo (PMDB), Moacir do Carmo e Francisco Teixeira Nunes “França” ambos pelo (PDS), eleito França.

Os resultados das 5 eleições municipais de 1988 para cá mostram que a ideia de uma 3ª via tem muito “pensamento negativo” quando se confunde desejo com probabilidade real, e quase nada de conexão com a realidade do nosso município. Nunca houve uma 3ª via para valer em Guamaré, e nunca uma terceira via tenha tido chances reais de vencer. No sentido do que alguns partidos buscam hoje, com um candidato de centro e fora da polarização esquerda-direita.

Em 1988, tivemos a 1ª eleição com uma terceira via para prefeito depois da ditadura (1964-1985), houve uma clara polarização nesse embate que foi representado por João Pedro Filho (PFL, eleito na época) e as outras candidaturas, dividida entre Jaffeth Miranda (PMDB) e Moises Nunes de Carvalho (PL). A 3ª via daquela disputa teria sido o emedebista Jafeth Miranda.

Não deixa de ser notável, entretanto, que a eleição de 1992 tivemos um novo embate repetindo o feito de 1982 com 4 candidatos dessa vez sem a vinculação do voto tendo sido a segunda eleição com essa disputa. Sendo eles: Francisco Teixeira Nunes “França”, (PDS), Moises Nunes de Carvalho, (PL), Lucila Tibúrcio (PT) e José da Silva Câmara que foi o eleito pelo (PFL).

As ilusões que sustentam a busca por uma terceira via voltaram a prevalecer em 1996 quando 3 candidatos disputaram o pleito sendo eles: Marcelo de Lucena “Dr. Marcelo” (PL), Evanildo da Silva Martins “Irmão Nido” (PT) e João Pedro Filho eleito pelo (PFL). A 3ª via daquela disputa teria sido o Petista Irmão Nido.

O caso da terceira via voltou a se repetir em 2008 quando houve o racha do grupo liderado pelo então prefeito José Câmara que rompeu politicamente com Auricélio Teixeira que formou uma terceira via comandada pelo então vereador e presidente da Câmara Municipal Hélio Wllamy.

Em disputa bastante acirrada entre José Câmara (PMDB), Auricelio Teixeira (PTB) e Mozaniel Rodrigues (PMN). Quem levou a melhor foi Mozaniel que foi eleito. Mas, por ter seu pai o ex-prefeito João Pedro como seu companheiro de chapa e estando com registro eleitoral indeferido pela justiça eleitoral, perdeu o mandato, assumindo o comando do executivo municipal o segundo colocado Auricélio Teixeira. A 3° via da época foi o então prefeito emedebista José Câmara.

Em 2012 uma terceira via volta ao senário: Foram eles Mozaniel Rodrigues (SD), Francisco de Assis (PTB) e Hélio Willamy Miranda que foi o eleito pelo (PMDB). A 3ª via daquela disputa teria sido o ex-prefeito Francisco de Assis. 

Na eleição de 2016 O esfacelamento da chamada terceira via volta a se repetir no município o novo embate trouxe três candidatos sendo eles: Mozaniel Rodrigues (SD), Helder Oliveira (PSD) e Hélio Willamy foi eleito sub-judice pelo (MDB). Provocando assim uma eleição suplementar. A 3ª via desse embate mesmo com o registro de candidatura indeferido foi o ex-vereador Helder Oliveira.

A eleição suplementar foi realizada em 2018 em conformidade com a Resolução do TSE nº 23.280/2010, em virtude da cassação e perda de mandato do então prefeito eleito  Hélio Willamy, e sua vice, Professora Iracema Morais. Teve apenas duas candidaturas sendo os candidatos Mozaniel Rodrigues (SD) e Adriano Diógenes Eleito pelo (MDB).


O fato de 4 candidaturas vota a se repetir em 2020; quem disputou esse pleito foram: Mozaniel Rodrigues (SD), Mario Antônio de Abreu Marque “Marujo” (PSC). A então vereadora e  prefeita interino Diva Maria de Araujo (PSDB), Hélio Willamy que foi eleito pelo (MDB) mais uma vez Guamaré entra no imbróglio jurídico e Hélio tem sua candidatura indeferida pela justiça eleitoral, perde o mandato e a cidade vai para uma eleição suplementar. A 3ª via daquela disputa teria sido o Marujo.

Na eleição suplementar realizada no ano de 2021 foi apenas duas candidaturas sendo eles:
Gustavo Henrique de Miranda Santiago (SD) e Arthur Henrique da Fonseca Teixeira (PSB) eleito.

Companheiros uma terceira via na política de Guamaré não o leva a lugar nenhum. Sabemos que na disputa eleitoral, não existe terceira via, pois a política é como uma linha de trem só tem força as duas linhas, a terceira é neutra.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
header ads
header ads
header ads